Meus Pedidos
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

CTPF

CENTRO TÉCNICO DE PRODUÇÃO E FORMAÇÃO
RAUL BELÉM MACHADO
FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO

(31) 3236 -7348 - contato@ctpfcs.com.br
  • CTPF - Instagram
  • CTPF - YouTube

Sobre

 

FCS

A Fundação Clóvis Salgado é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, foi criada pela Lei nº 5.455, de 10 de junho de 1970, e rege-se pelo Decreto nº 45.828/2011. Tem como missão atuar como centro de planejamento, produção, formação e divulgação no campo da arte. Uma de suas principais atribuições é gerir a programação artística do Palácio das Artes, da Serraria Souza Pinto, da CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais, além dos corpos artísticos – Cia. de Dança Palácio das Artes, Coral Lírico e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – e do Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart. A Fundação Clóvis Salgado presta relevantes serviços de democratização de acesso à arte e à cultura para a população de Minas Gerais. Com o objetivo de cumprir sua missão, realiza intensa programação artística nas áreas de música, dança, teatro, artes visuais, cinema, ópera e literatura, entre outras.

 

CTPF - Raul Belém Machado

O Centro Técnico de Produção e Formação – CTPF (antigo CTP), é um espaço destinado à confecção e salvaguarda do acervo oriundo das montagens artísticas da Fundação Clóvis Salgado. No local também são realizadas atividades de ensino, atreladas ao Centro de Formação Artística e Tecnológica – CEFART, sobretudo da Escola de Tecnologia da Cena.
Todo o acervo, reunido desde 1971, está abrigado em três galpões de uma antiga fábrica de tecidos em Marzagão, na cidade de Sabará.

A criação do antigo Centro Técnico de Produção (CTP) se entrelaça à história de Raul Belém Machado (1942-2012), arquiteto, cenógrafo e figurinista que, de 1983 a 2011, coordenou as produções artísticas da FCS.

A partir de 1987 o CTP produziu cenários, figurinos e adereços para as montagens da FCS nas oficinas do Palácio das Artes.  

Em 2004, o CTP foi transferido para três galpões do antigo complexo de fábricas de tecidos em Marzagão, ocupando 2.856 m2 destinados às oficinas de costura para a confecção de figurinos e adereços e marcenaria e serralheria para a construção de cenários.  

Em 2015, o Centro Técnico de Produção e Formação – CTPF teve sua gestão transferida para o Centro de Formação Artística e Tecnológica (CEFART).

Em 2018, são iniciadas as atividades da Escola de Tecnologia da Cena do CEFART com o propósito de habilitar profissionais técnicos em produção de figurinos e adereços, cenários e elementos cênicos, iluminação, sonoplastia e produção cultural.

Neste momento estão sendo desenvolvidas as atividades de catalogação museológica, realizadas por profissionais de Moda, História, Museologia, Biblioteconomia, Tecnologia da Informação e Preservação e Conservação de Bens, com a realização de laudos técnicos sobre o estado de conservação do acervo.
Nas próximas etapas será feita a transferência do espaço de guarda do CTPF, que será abrigado em um novo prédio, com condições apropriadas de conservação preventiva de bens.

As informações coletadas se basearam na obra “O arquiteto da cena”, uma edição do Palácio das Artes, 2008.

 

Sobre o conjunto

A partir de 2015, as coleções de figurinos e adereços, cenários e elementos cênicos do Centro Técnico de Produção – CTP, foram entendidas como um conjunto patrimonial unificado.

Com essa mudança, a partir de 2018, a FCS buscou ampliar o potencial funcional do CTP, com o incremento de um espaço voltado para a formação de agentes culturais, alterando assim seu nome para Centro Técnico de Produção e Formação - CTPF.
A fim de democratizar o acesso à este acervo, parte dele passou a ser disponibilizado também para demandas das produções artísticas e atividades de ensino e formação profissional do CEFART, para as cia culturais do estado de Minas Gerais e para a sociedade como um todo.

Essa ação objetiva à otimização do funcionamento do CTPF, sobretudo no que se refere à gestão do acervo, com a implementação de novas diretrizes de funcionamento do espaço. A primeira delas refere-se à implantação de parâmetros técnicos de salvaguarda patrimonial para a formação de uma política de acervo sobre o atual conjunto de bens artísticos do CTPF e o desenvolvimento e implementação de um novo sistema de gestão, totalmente integrado.